Yara Pina
Corpos ultrajados, 2021,
sacos de plástico pretos dobrados como a bandeira
nacional em honras fúnebres prestadas às
autoridades do Estado brasileiro
instalação, 7 m

 

Corpos ultrajados tem como foco vítimas de violência da violência exterminadora do Estado brasileiro que ainda não tiveram direito ao luto, à sepultura e à memória. Corpos cujos restos mortais foram abandonados ou ainda estão em situação precária, desumana, sem qualquer identificação do Estado. Tendo como referência o direito negado às famílias de enlutar e sepultar dignamente seus mortos, a instalação parte de um ritual presente em honras fúnebres prestadas às autoridades públicas, a dobra da bandeira nacional, para salientar os ultrajes que abarcam os corpos de indivíduos que foram descartados e abandonados nas covas rasas dos cemitérios públicos, ossários e nas valas comuns dos cemitérios clandestinos.