Yara Pina

Zona de esfumaçamento (2021)

sombra agredida com golpes de carabina, cinzas de imagens

de vítimas de execuções sumárias no Brasil

vestígios de ação

Em Zona de esfumaçamento, exploro os campos de violência que envolvem a participação legal e ilegal do Estado brasileiro na execução sumária de corpos como política de extermínio. Um modus operandi estruturado há décadas como política de segurança pela Ditadura Militar que contava com a presença de policiais nos esquadrões da morte para reprimir e eliminar o inimigo interno. Hoje, esses homicídios continuam ocorrendo pelas mãos desses mesmos agentes de segurança durante as operações policiais ou em suas atuações criminosas nas milícias, nos grupos de extermínio e no narcotráfico. Motivados muitas vezes não apenas pela impunidade e pelo amparo legal dos “autos de resistência seguidos morte”, mas também pela lógica lucrativa do crime. Durante a ação, agrido minha sombra projetada na parede com o cano de uma carabina focando, principalmente, nas regiões letais de um corpo humano. Num segundo momento, utilizo as cinzas das imagens de vítimas de execuções sumárias, publicadas pela imprensa, para formar uma silhueta e, também, para destacar as marcas das agressões que ficaram na minha sombra. Como gesto final, encubro com as cinzas a carabina sobre o chão.